Agosto Dourado

O Agosto dourado vem para que tenhamos mais atenção ao aleitamento materno. Em sinergia com esse foco, a SOGISC, apoiando as iniciativas de todas as sociedades empenhadas nesse objetivo traz um texto para reflexão e conhecimento que segue. Boa leitura.

Dr Jean Louis Maillard
Presidente SOGISC

 

 

AGOSTO DOURADO 

PAPEL DO PROFISSIONAL DE SAÚDE NO ALEITAMENTO MATERNO  

A proposta de humanizar o atendimento pré e pós-parto também se origina da construção coletiva de ações em prol do apoio, promoção e incentivo do aleitamento materno, tendo em vista que a promoção do aleitamento materno sempre foi prioridade para as instituições de saúde. A amamentação é um dos assuntos mais importantes na pauta de preocupações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de todos os organismos estatais que se preocupam com a saúde pública. 

Para resgatar a cultura da amamentação, os ginecologistas/obstetras, pediatras e enfermeiros, não precisam apenas ter o domínio técnico da teoria e da pratica do manejo do aleitamento. A maior dificuldade encontrada atualmente ocorre no momento do encontro do profissional de saúde com a gestante, mãe, bebe e familiares, quando inúmeras questões entram em cena. E nesse contexto que as habilidades de aconselhamento fazem a diferença no suporte a mulher. O principal objetivo da assistência em amamentação e tentar compreender como a nutriz se sente, e, assim procurar ajudá-la a decidir o que fazer. O bom desempenho desses profissionais dependera das habilidades e sensibilidade para aconselhamento em aleitamento materno, que se resumem, além de possuir conhecimento técnico e cientifico a respeito da amamentação. Para promover uma amamentação bem-sucedida, o profissional deve usar estratégias de comunicação, escutar e aprender com as mães, mostrar que entende como a mulher se sente, e evitar os julgamentos. O contato visual com a mãe, e a demonstração de como deve ser feito, facilita a compreensão do que o médico e enfermeiro quer transmitir como ensinamento. Para estabelecer a confiança da nutriz, deve se colocar à disposição quando ela precisar, priorizar informações objetivas, usar uma linguagem simples, apresentar as dicas como sugestões, não dar ordens, permitir que ela reflita e decida o que julgar melhor. É importante reconhecer e elogiar o que ela e o bebe estão fazendo corretamente. 

O médico ginecologista/obstetra, pediatra e o enfermeiro tem um papel relevante, pois são os que mais estreitamente se relacionam com as nutrizes e tem importante função na promoção do aleitamento materno. As mães precisam de seu acompanhamento e apoio, porque o ato de amamentar, embora pareça natural do ser, está envolvido em crenças, mitos, culturas e experiências que envolvem as gestantes e nutrizes. Com acesso a informação sobre amamentação através dos meios de comunicação, as mulheres têm o conhecimento da importância do leite materno, mas se não tiverem apoio e ajuda profissional capacitada, não conseguirão superar as dificuldades e o desafio de amamentar, ocorrendo o desmame precoce, pondo em risco o desenvolvimento de doenças no bebe. 

Por Soninha Silva
Enfermeira obstetra e especialista e amamentação
Coren/SC 383.225