Editorial Sogisc: Orientação as Gestantes e puérperas na pandemia do Covid-19

A disseminação da COVID 19 alcança níveis alarmantes no Brasil, levando a uma necessidade crescente de leitos de UTI na rede pública e privada. Os serviços de pronto atendimento seguem sobrecarregados e há falta de vagas de internação para tratamento de pacientes com maior gravidade. 

As medidas eficazes de prevenção, como proteção com uso de máscaras, higiene pessoal e distanciamento social, evitam a disseminação do vírus.

A assistência médica precoce aos pacientes deve ser estimulada, bem como o acesso aos exames complementares necessários na investigação clínica. Pacientes estáveis e que podem ser monitorados à distância devem ser estimulados ao uso da telemedicina, no intuito de reduzir o número de atendimentos em serviços de emergência.

A autonomia do médico na prescrição é ato primário, inerente ao pleno exercício da sua profissão. O uso de medicamentos na abordagem precoce, se médico e paciente concordarem com os potenciais riscos e benefícios, pode ser considerado, com obediência aos preceitos e aos regulamentos do Conselho Federal de Medicina.

A vacinação é medida importante de prevenção da disseminação do vírus e deve ser estimulada na população em geral, seguindo o Plano Nacional de Vacinação da COVID 19. Em grupos específicos, gestantes, puérperas e lactantes devem ser individualmente orientadas pelo seu médico assistente, que deverá expor os riscos potenciais e benefícios, para que juntos possam tomar uma decisão esclarecida.

A adequada estrutura hospitalar e a dedicação incondicional das equipes de saúde constituem os pilares necessários ao melhor atendimento do paciente cometido pela COVID 19.

As recomendações sobre prevenção, vacinação e tratamento da COVID 19 serão atualizadas conforme o melhor entendimento da doença e em conformidade com o conhecimento científico.

 

Diretoria da SOGISC

Nota técnica nº 01/2021-DAPES/SAPS/MS: Recomendações referentes a administração de vacinas em gestantes, puérperas e lactantes

Ministério da Saúde 
Secretaria de Atenção Primária à Saúde 
Departamento de Ações Programáticas Estratégicas

Nota técnica nº 01/2021-DAPES/SAPS/MS

ASSUNTO

Tratam-se das recomendações referentes a administração de vacinas covid-19 em gestantes, puérperas e lactantes, incluindo os esclarecimentos que devem ser fornecidos para tomada de decisão. 

 Acesse o conteúdo da nota técnica clicando aqui (formato PDF)

Reflexões sobre a Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência 2021

SOGIA-BR e CNE-FEBRASGO de Ginecologia InfantoPuberal

A Semana Nacional de Prevenção à Gravidez na Adolescência foi instituída pelo Governo Federal pela Lei nº 13.798 de 03 de janeiro de 2019, que acrescentou o Art. 8º - A ao Estatuto da Criança e do Adolescente.1,2 De acordo com a lei, na semana que incluir o dia 1º de fevereiro, o poder público, em conjunto com organizações da sociedade civil, deverá desenvolver ações com o objetivo de disseminar informações sobre medidas preventivas e educativas que contribuam para a redução da incidência da gravidez na adolescência. 

A gravidez na adolescência é apontada pelos profissionais de saúde, educação e áreas sociais como problema que aumenta com a diminuição da idade.3 A gravidez precoce induz a um ciclo vicioso de pobreza e baixa escolaridade.4 Segundo o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), das 7,3 milhões de meninas e jovens grávidas no mundo, 2 milhões tem menos de 14 anos. Essas jovens apresentam várias consequências na saúde, educação, emprego, nos seus direitos e na autonomia na fase adulta ao terem filhos tão cedo.4,5 As taxas de morbimortalidade são elevadas e chegam a 70 mil mortes de adolescentes por problemas na gravidez ou no parto. Entre as causas de maternidade precoce estão os elevados índices de casamentos infantis, organizados pelas próprias famílias, a extrema pobreza, violência sexual e falta de acesso aos métodos anticoncepcionais.

Leia mais...

Editorial - Diretoria SOGISC 2021/2023

Colegas toco-ginecologistas do estado de Santa Catarina.

Desejamos a todos  um excelente ano, aproveitando a oportunidade para apresentar a nova diretoria SOGISC 2021/23 e suas diretrizes.

Daremos continuidade a ações desenvolvidas pelas diretorias anteriores, com foco na eficiência do cumprimento da missão desta sociedade, que é  unir os profissionais em busca de conhecimentos científicos e éticos, bem como desempenhar um papel relevante na construção de políticas públicas relacionadas à saúde feminina.

Vivemos em tempos de mudanças, com novas formas de aprendizagem, ações, relacionamentos e comunicação, de modo que a nova gestão estará comprometida com os processos de transformação digital adequados a estes novos tempos.

Contamos com o apoio de todos os ginecologistas e obstetras na construção conjunta desta nova jornada, e esperamos que as nossas ações resultem em mais união e orgulho de pertencer a esta sociedade.

 

JUSSIMARA SOUZA STEGLICH
Presidente SOGISC

 

 

Diretoria  - Gestão 2021/2023

 

Presidente: Jussimara Souza Steglich 

Vice-Presidente: Ricardo Maia Samways 

Secretário Executivo: Jean Louis Maillard 

Secretário Executivo Adjunto: Natália Roberta Andrade Dalla Costa 

Tesoureiro: Marcelo Costa Ferreira 

Tesoureira Adjunta: Andrea Bongiolo Cordeiro 

Diretor Científico Geral: Luiz Fernando Frassetto 

Diretor Científico de Obstetrícia: Mário Júlio Franco 

Diretor Científico de Ginecologia: Duarte dos Santos Costa 

Diretora de Defesa Profissional: Ricardo de Assis Ferreira 

Diretor de Publicações: Luisa Guedes de Oliveira 

Diretor de Informática: Patricia Schaeffer Thomazelli

 

MPT-SC notifica empresas para que promovam o afastamento remunerado das gestantes do trabalho durante a pandemia de COVID-19

Brasil é o país do mundo com maior número de casos de morte em gestantes e no pós-parto por COVID 19, responsável por 77% dos óbitos mundiais neste grupo de risco.

Florianópolis - O Ministério Público do Trabalho emitiu notificação às empresas de todos os setores de Santa Catarina para que retirem as gestantes do trabalho presencial, durante o período de transmissão comunitária da Covid-19, independentemente da idade gestacional, sem prejuízo da remuneração.

A recomendação é para que as gestantes, sempre que possível, realizem as atividades laborais de modo remoto, por equipamentos e sistemas informatizados, quando compatível com a função.

Leia a notícia completa: 

http://www.prt12.mpt.mp.br/procuradorias/prt-florianopolis/1078-mpt-sc-notifica-empresas-para-que-promovam-o-afastamento-remunerado-das-gestantes-do-trabalho-durante-a-pandemia-de-covid-19

 

Fonte: Assessoria de Comunicação MPT-SC, 24/11/2020

 

Carta de repúdio a condução e tratamento durante audiência de instrução e julgamento da jovem Mariana Ferrer

 

Somos uma sociedade que visa o aprimoramento científico para que ginecologistas e obstetras possam zelar e melhorar a saúde feminina. Posto isto, não poderíamos deixar de registrar o total repúdio na condução e tratamento durante a audiência de instrução e julgamento da jovem Mariana Ferrer, no nosso estado. As imagens veiculadas da audiência mostram total desrespeito à dignidade das mulheres e da pessoa humana.

Qualquer ato de violência seja física, sexual ou verbal às mulheres e qualquer tentativa de justificá-las são desprezíveis. A postura do promotor público e do magistrado, frente a agressão sofrida pela jovem durante a audiência foi inadmissível, pela omissão.

Desqualificar moralmente a vítima, prática histórica e persistente, deve ser combatido fortemente por toda a sociedade.
Que a resolução deste caso venha para que não enfrentemos mais nem violência feminina nem descaso em julgamentos.

Eleições para nova diretoria da Associação de Obstetrícia e Ginecologia de Santa Catarina - SOGISC – gestão 2020 – 2023

Eleições para nova diretoria da Associação de Obstetrícia e Ginecologia de Santa Catarina - SOGISC – gestão 2020 – 2023.


A atual diretoria da SOGISC está terminando seu mandato em dezembro próximo. Respeitando as normas do estatuto comunicamos que estão abertas as inscrições das novas chapas.


NORMAS PARA INSCRIÇÃO DAS CHAPAS:


• Poderão inscrever-se somente chapas que contenham doze associados Titulados (com TEGO), quites com a tesouraria na data da publicação do edital de convocação e também sócios da Associação Catarinense de Medicina (ACM). As chapas devem ser apresentadas por quinze associados quites com a tesouraria e não pertencentes à mesma.

• As inscrições das chapas devem ser realizadas até dia 25/10/2020.

 

• Devido a pandemia mundial, a posse da nova diretoria dar-se-á no dia 02/01/2021.


• O mandato da Diretoria será de três anos e os cargos serão sempre efetivos.

 

Florianópolis, 25 de setembro de 2020.

Agenda NAVEG cursos 2020

5% de desconto para associados SOGISC.

Informações pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou whatsapp 11 94800-7530.

Site: www.nucleonaveg.com.br

 

Protocolo de tratamento do Novo Coronavírus - 2019-nCoV

MINISTÉRIO DA SAÚDE
Secretaria de Atenção Especializada à Saúde
Departamento de Atenção Hospitalar, Urgência e Domiciliar

Protocolo de Tratamento do Novo Coronavírus (2019-nCoV)

Em 22 de janeiro de 2020, foi ativado o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para o novo Coronavírus (COE – nCoV), estratégia prevista no Plano Nacional de Resposta às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde. 

O novo Coronavírus (2019-nCoV) é um vírus identificado como a causa de um surto de doença respiratória detectado pela primeira vez em Wuhan, China.

Desde 2005, o Sistema Único de Saúde (SUS) está aprimorando suas capacidades de responder às emergências por síndromes respiratórias, dispondo de planos, protocolos, procedimentos e guias para identificação, monitoramento e resposta às emergências em saúde pública.

Diante da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) por doença respiratória, causada pelo novo coronavírus (2019-nCoV) e considerando-se as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), as equipes de vigilância dos estados e municípios, bem como quaisquer serviços de saúde, devem ficar alertas aos casos de pessoas com sintomatologia respiratória e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local nos últimos 14 dias.

A vigilância epidemiológica de infecção humana pelo 2019-nCoV está sendo construída à medida que a OMS consolida as informações recebidas dos países e novas evidências técnicas e científicas são publicadas. Deste modo, o documento apresentado está sendo estruturado com base nas ações já existentes para notificação, registro, investigação, manejo e adoção de medidas preventivas, em analogia ao conhecimento acumulado sobre o SARS-CoV, MERS-CoV e 2019-nCoV, que nunca ocorreram no Brasil, além de Planos de Vigilância de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e Síndrome Gripal (SG).

Como toda normatização, este Protocolo está sujeito a ajustes decorrentes da sua utilização prática e das modificações do cenário epidemiológico. Ressalta-se que ele se aplica ao cenário epidemiológico brasileiro na atual fase, de acordo com as orientações da OMS. 

Os estados e municípios possuem planos de preparação para pandemia de influenza e síndromes respiratórias. A maior parte dos procedimentos recomendados estão previstos no capítulo de influenza do Guia de Vigilância Epidemiológica, além de manuais e planos elaborados para preparação e resposta durante os eventos de massa. Antes de se considerar a possibilidade de ser um caso suspeito de Coronavírus, recomenda-se descartar as doenças respiratórias mais comuns e adotar o protocolo de tratamento de influenza oportunamente para evitar casos graves e óbitos por doenças respiratórias conhecidas, quando indicado.

Portanto, o SUS possui capacidade e experiência na resposta. Este documento visa ajustar algumas recomendações ao contexto específico desta emergência atual, com base nas informações disponibilizadas pela OMS diariamente e todo procedimento está suscetível às alterações necessárias.

Acesse o documento clicando aqui.