Febrasgo disponibiliza OnLine Doctor

A Febrasgo disponibiliza um sistema gratuito para gerenciamento de consultórios médicos, o OnLine Doctor.

Sistema oficial da Febrasgo – Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, conta com mais de 4 milhões de prontuários e milhares de médicos cadastrados em todo o Brasil. As receitas para seu funcionamento vem da publicação de banners, da mesma forma que outros serviços gratuitos de sucesso, como o Google e o Microsoft MSN. 

Leia mais...

Febrasgo disponibiliza sistema gratuito para gerenciamento de consultórios médicos

A Febrasgo disponibiliza um sistema gratuito para gerenciamento de consultórios médicos, o OnLine Doctor. Sistema oficial da Febrasgo – Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, conta com mais de 4 milhões de prontuários e milhares de médicos cadastrados em todo o Brasil. As receitas para seu funcionamento vem da publicação de banners, da mesma forma que outros serviços gratuitos de sucesso, como o Google e o Microsoft MSN. 

Leia mais...

Pós-graduação em Cirurgia Vaginal e Uroginecologia, Videohisteroscopia e Videolaparoscopia

O Instituto de Pós-graduação e Pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, está com inscrições abertas para cursos de pós-graduação em Cirurgia Vaginal e Uroginecologia, Videohisteroscopia e Videolaparoscopia, cujo objetivo é qualificar profissionais médicos, propociando-lhes amplo conhecimento e habilidades para a realização de Cirurgia Minimamente Invasiva.


Maiores informações e inscrições através do site: www.fcmmg.br/ipg

Parecer CFM 39/12 sobre cobrança de disponibilidade para atendimento ao parto

No parecer consta que a disponibilidade para realização do parto é um procedimento distinto da assistência ao trabalho de parto e pré-natal. "O pré-natal consiste nas consultas periódicas da gestante, compreendendo também a avaliação fetal. A assistência ao parto é a sua realização, quer por via vaginal quer por via alta (cesariana). Quanto ao termo “disponibilidade”, melhor seria denominá-lo como “acompanhamento presencial”, que o obstetra fará junto à gestante, desde o início até o término do trabalho de parto ... deverá ser pago à parte pela gestante, e a operadora do plano de saúde não remunerará o médico pelo parto."

Leia mais...

Parecer CFM 39/12 sobre cobrança de disponibilidade médica pelo obstetra

"O obstetra, por ocasião da primeira consulta, deverá esclarecer à gestante que o acompanhamento presencial do trabalho de parto tem caráter opcional por parte dela, e que o contrato do plano de saúde lhe assegura a cobertura obstétrica, mas não lhe outorga o direito de realizar o parto com o obstetra que a assistiu durante o pré-natal. Se a gestante optar por seu acompanhamento presencial no trabalho de parto, o honorário profissional referente a tal procedimento será pago por ela, diretamente ao obstetra, visto que nesta circunstância ele não deve receber honorário da operadora do plano de saúde pela realização do parto.

Leia mais...